Sociedade

Professores penduram bengalas em frente ao Ministério Público como forma de protesto

Docentes exigem um regime especial de aposentações

Vários professores penduraram, esta quarta-feira, em Lisboa, várias bengalas nas árvores em frente ao Ministério da Educação, para o qual enviaram 12 mil postais a exigir um regime especial para se aposentarem no final de 36 anos de serviço, sem penalização.

O protesto foi uma iniciativa promovida pela Federação Nacional dos Professores (Fenprof), onde os docentes se juntaram na avenida 5 de outubro, a reivindicar o direito à reforma antecipada. 

Esta medida pretende dar possibilidade de emprego a professores mais jovens e proporcionar um fim de carreira digno aos professores mais velhos.

Os sindicatos da Fenprof vão estar hoje à tarde na Assembleia da República para assistir à discussão da petição, com 20 mil assinaturas, em defesa de melhores condições de trabalho e de aposentação.

Caso não haja resposta aos pedidos, a Fenprof pretende realizar uma greve na altura dos exames, em junho. E, segundo Mário Nogueira, secretário-geral da Fenprof, está nas mãos do Ministério evitar a greve nessa altura.