Desporto

Maradona apoia vídeo-árbitro apesar da "Mão de Deus"

O antigo astro argentino assume que muitos lances irregulares célebres não teriam existido caso houvesse recurso à tecnologia no futebol

Diego Maradona tem revelado ser um acérrimo defensor da introdução das novas tecnologias no futebol, como o vídeo-árbitro, que tem sido fator de polémicas recentemente. Isto, apesar de um dos seus golos mais célebres ter sido apontado... com a mão: hoje não valia, admite.

"As pessoas diziam que era uma perda de tempo, que iria causar muita perturbação. Não é o caso. As pessoas zangam-se quando é assinalado algo que não devia, ou quando um golo é erradamente não validado. A tecnologia traz transparência e qualidade e beneficia equipas que decidem atacar e correr riscos. Mão de Deus? Claro que penso nisso quando assumo o meu apoio ao uso de tecnologia. Seguramente aquele golo não teria valido se já houvesse a tecnologia. E digo mais: no Mundial 90 usei a mão para cortar a bola frente à URSS. Tivemos sorte porque o árbitro não viu", disparou o antigo astro argentino.

Ainda assim, Maradona recorda outros exemplos de erros históricos graves. "Mas não é apenas o meu golo em 86 que não devia ter contado. Não nos esqueçamos que a Inglaterra ganhou o Mundial 66 com um golo que não passou a linha. Depois aconteceu o contrário no Mundial 2010, quando o remate do Lampard passou a linha contra a Alemanha mas não foi validado. A Inglaterra tinha a bola e marcou o golo que merecia, mas a Alemaha ganhou confiança depois disso e isso mudou completamente o jogo", ressalvou o atual treinador dos árabes do Al-Fujairah, reforçando novamente o recurso às tecnologias: "Houve muitos incidentes na história do Campeonato do Mundo que teriam sido diferentes se tivesse sido usada a tecnologia. É altura de mudar isso."