Economia

China. Maior mercado mundial vai proibir motores de combustão

Decisão terá impacto significativo no crescimento da indústria automóvel chinesa, que prospera com subsídios

A China vai estabelecer um calendário para os fabricantes automóveis deixarem de vender carros movidos a combustíveis fósseis. Será o maior mercado a fazê-lo, numa decisão que vai acelerar o carro elétrico.

O vice-ministro da China para a Indústria e Tecnologia de Informação, Xin Guobin, revelou que o governo e os reguladores estão a trabalhar num calendário para terminar a produção e as vendas. A decisão terá um impacto muito significativo no ambiente e no crescimento da indústria automóvel chinesa. 

A segunda maior economia mundial, que prometeu um limite para as suas emissões de CO2 até 2030 e reduzir a cada vez pior poluição do ar, é a última a juntar-se a países, como o Reino Unido e a França, que procuram terminar com os veículos movidos a gasolina e gasóleo.

A previsível proibição de automóveis com motor de combustão vai levar a que tanto construtores locais como construtores globais se foquem na introdução de mais carros elétricos sem emissões poluentes para ajudar a limpar as grandes cidades, carregadas de smog. 

“A implementação de uma proibição para um mercado tão grande poderá acontecer só depois de 2040”, diz um responsável da Chery Automobile Co., o principal exportador chinês de carros de passageiros, que apresentou uma nova linha de modelos híbridos plug-in e elétricos no Salão de Frankfurt. “Dará tempo a toda a gente para se preparar”, acrescenta, citado pela agência Bloomberg. 

Ao mesmo tempo que os principais construtores mundiais - desde a Tesla, passando pela Nissan, até à GM - estão numa corrida para garantirem uma fatia do mercado automóvel elétrico da China, são os construtores locais que têm tido grande sucesso, graças a subsídios governamentais. 

A BYD, financiada por Warren Buffet, lidera as vendas, com 46 855 carros elétricos ou híbridos plug-in vendidos nos primeiros sete meses do ano. A Beijing Electric Vehicle, a divisão de carros elétricos da estatal BAIC Motor, vendeu 36 084 unidades. 

Por comparação, a GM vendeu 738 carros movidos a eletricidade. O número corresponde a 0,04% dos seus modelos vendidos na China durante os sete meses.