Internacional

Bombardeiros norte-americanos sobrevoam Coreia do Norte

Seis aviões militares realizaram um simulacro de disparo nas águas da costa oriental da península norte-coreana

Seis aviões militares, incluindo dois bombardeiros norte-americanos, sobrevoaram a península coreana na noite de terça-feira e realizaram um simulacro de disparo, segundo informaram as Forças Aéreas do Pacífico (PACAF) norte-americanas, que descrevem o ato como "uma demonstração de força face à Coreia do Norte". Aos dois bombardeiros estratégicos B-1B juntaram-se dois caças F-15K da Coreia do Sul e dois do Japão.

"Voar e treinar durante a noite com os nossos aliados de forma segura e eficaz é uma importante capacidade partilhada entre os Estados Unidos, Japão e Coreia do Sul e melhora a destreza tática dos aviadores de cada nação. Esta é uma clara demonstração da nossa capacidade para realizar operações sem interrupções com todos os nossos aliados em qualquer altura e em qualquer lugar", afirmou Patrick Applegate, do Centro de Operações Aéreas norte-americanas 613.

Para já, e depois de no domingo Kim Jong-un ter voltado a defender o desenvolvimento do seu "valioso" programa nuclear para fazer frente às ameaças dos Estados Unidos, Pyongyang ainda não reagiu aos exercícios militares.

Precisamente na terça-feira, o presidente norte-americano, Donald Trump, havia sido informado pela sua equipa de segurança nacional sobre "uma série de opções" de resposta às ameaças da Coreia do Norte perante um eventual ataque. "A reunião centrou-se numa série de opções para responder a qualquer forma de agressão por parte da Coreia do Norte ou, se for necessário, para impedir que a Coreia do Norte ameace os Estados Unidos e os seus aliados com armas nucleares", revelou Sarah Huckabee Sanders, a porta-voz da Casa Branca.