Sociedade

DECO pede que cosmético seja retirado do mercado

Creme contém ingrediente proibido na União Europeia

A Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor (DECO) pediu ao Infarmed que mande retirar do mercado um creme anticelulite, por este ter na sua composição um ingrediente proibido em cosméticos na União Europeia desde 2015.

O ingrediente proibido encontrado no ‘Depuralina Celulite’, comercializado pelo laboratório TheraLab - Produtos Farmacêuticos e Nutracêuticos, dá pelo nome de isobutylparaben e é suspeito de ser um desregulador endócrino, ou seja pode provocar distúrbios hormonais.

"O Comité Científico da Segurança dos Consumidores, devido à falta de informação, considerou que o risco deste composto para a saúde humana não podia ser avaliado e, por isso, recomendou que este ingrediente fosse proibido em todos os produtos cosméticos", refere a DECO em comunicado.

A associação recomenda ainda que quem tiver o cosmético deixe de o utilizar e aconselha os consumidores, no geral, a ler sempre a composição dos produtos, para confirmar que não existe qualquer ingrediente proibido ou alérgico.

No comunicado, a DECO adianta que informou o Infarmed da situação, pedindo que a autoridade ordenasse a sua retirada do mercado.