INE

Défice da balança comercial agrava

As exportações e importações de mercadorias aumentaram em outubro. As compras de bens ao exterior foram superiores às vendas, o que agravou o défice da balança comercial.

De acordo com dados desta segunda-feira do Instituto Nacional de Estatística (INE), as exportações portuguesas de bens subiram 11,8% em outubro, por comparação com o mesmo mês de 2016. Em setembro tinha aumentado 5,7%.

Já as importações cresceram praticamente o dobro – 21,4% - acelerando face à subida de 8,5% verificada no mês anterior, o que levou a um agravamento do défice da balança comercial para 1536 milhões de euros, um acréscimo de 613 milhões de euros face ao mês homólogo de 2016.

Segundo o INE, em outubro, as exportações aumentaram principalmente devido ao acréscimo de 14,1% registado no comércio com os países da União Europeia. Quanto ao crescimento das importações foi também sobretudo resultado da evolução das importações de países Intra-UE, que aumentaram 16,9%.

"As acelerações em ambos os fluxos reflectiram, em parte, efeitos de calendário, dado que em setembro e em Outubro se registaram, respectivamente, menos um dia e mais um dia útil que nos mesmos meses de 2016", acrescenta o mesmo organismo.

Os dados mostram ainda que, com exceção dos combustíveis e lubrificantes, as exportações aumentaram 13,% em termos homólogos e as importações cresceram 19,9% Excluindo este item, a balança comercial atingiu um saldo negativo de 1066 milhões de euros, um aumento de 409 milhões de euros em relação ao mesmo mês de 2016.

Este défice reflete apenas as trocas de bens, não contabilizando os serviços (onde se inclui o turismo), balança na qual Portugal tem por norma um excedente.

No trimestre terminado em outubro de 2017, as exportações e as importações de bens aumentaram respectivamente 10,2% e 14,1% face ao período homólogo.