Economia

Bitcoin. O que é, onde investir e como pode ser recuperado

Nos últimos tempos este tema tem sido muito abordado, mas a verdade é que nem toda a gente consegue explicar como funcional o mundo desta 'pequena' moeda virtual. Nós ajudamos. 

O que é a bitcoin?

É a moeda virtual mais conhecida do mundo. Surgiu em 2009 e só este ano já valorizou mais de 1600%. Foi ganhando protagonismo por ser uma moeda totalmente descentralizada e independente, ou seja, sem controlo de qualquer entidade, nomeadamente dos banco centrais. Atualmente, existem cerca de 16 milhões de moedas em circulação e há várias lojas online que aceitam esta divisa. No entanto, a bitcoin tem estado na mira de especuladores que procuram comprar a um preço mais baixo para, depois, vender quando a moeda atinge um valor superior.

Como investir?

Qualquer pessoa pode fazer estas moedas, desde que tenha ‘hardware’ e ‘software’ específicos de processamento que permite gerar pequenas quantias da moeda através de algoritmos, num processo que se chama mineração. Mas a melhor opção para adquirir as moedas virtuais será através da utilização de plataformas de negociação e adquiri-las com dinheiro convencional (euro). Depois, a moeda é guardada numa carteira digital, à qual apenas o titular consegue aceder. Com esta carteira, pode enviar bitcoins para qualquer pessoa, pagar bens ou serviços em lojas online ou vendê-las em plataformas de intercâmbio, transformando-as em “dinheiro vivo”. Atualmente até já existem multibancos de bitcoins, que permitem aos utilizadores comprar ou vender estas moedas rapidamente.

Como é calculado o seu valor?

O valor da moeda é instável e segue as leis de mercado: lei da oferta e da procura. Isto significa que quanto maior for a procura, maior será a cotação.

Depois do investimento em bitcoin como é pode ser feito o resgate?

Através de exchanges internacionais, onde deverão ligar uma conta bancária e fazer uma transferência SEPA.

Em Portugal onde é possível investir em bitcoin?

Ainda não existe nenhuma exchange portuguesa, sendo que os investidores deverão usar as que estão sediadas na Europa.