LifeStyle

Alta cozinha no El Corte Inglés é nova estratégia para Lisboa

Chama-se Gourmet Experience e custou sete milhões de euros. Além de ter criado 250 novos postos de trabalho, junta chefs com estrelas Michelin 


Oito meses e sete milhões de euros depois, nasceu o novo espaço Gourmet Experience, em Lisboa. Falamos da nova aposta do El Corte Inglés que consiste num conceito gastronómico original. Ocupa a maior parte do sétimo piso dos armazéns em Lisboa e reúne espaços de restauração de chefes de cozinha portugueses e estrangeiros, alguns deles galardoados com estrelas Michelin.

“O que temos aqui é uma evolução do que já foi feito em Espanha com grande sucesso. Quisemos respeitar a identidade de Lisboa”, explica Susana Santos, responsável pela comunicação da empresa. “O conceito, de inspiração vanguardista, permite experimentar diferentes tipos de cozinha, com diversas inspirações, num único lugar, ao mesmo tempo que se pode observar a confeção dos pratos e comprar os ingredientes para prolongar a experimentação já em casa”, defende o grupo. 

O piso foi totalmente reformado e pouco ficou do que se conhecia. Com 17 espaços diferentes, conta com sete que têm assinatura de chefs nacionais e internacionais e dez representam grandes marcas.

Assim que as portas do elevador se abrem, a entrada é direta para este espaço que conta com mil lugares. Cada restaurante tem o seu espaço próprio, cada um com as suas mesas e o seu ambiente. Susana Santos ressalva ainda a importância do espaço exterior que “goza de uma vista excecional sobre a cidade”. 

José Avillez, tão conhecido pelos portugueses, tem três espaços. A Tasca Chic, o Jacaré e ainda o Barra Cascabel, cujo conceito viajou do El Corte Inglés de Madrid para a capital portuguesa pelas mãos do chef português. Além de várias especialidades mexicanas, servem-se cocktails à base de mescal. 

Já Henrique Sá Pessoa, chef também galardoado com uma estrela Michelin no Alma, “recebe no Balcão, onde homenageia a cozinha nacional inspirada no ambiente autêntico e aconchegante das tabernas portuguesas. O menu reflete a maturidade da cozinha do autor e intimamente ligada aos produtos nacionais”. 

No caso da cultura havaiana e a asiática, sobretudo japonesa, chega pelas mãos de Kiko, no espaço chamado O Poke. Já “do chef estrela Michelin pela Casa Solla, Pepe Solla, vem o Atlántico, espaço de inspiração marítima, onde se pode saborear cozinha autêntica da Galiza e com inspiração trazida de toda a parte do mundo banhada pelo nosso mar”. 

Também o Imanol, que já existe em vários pontos de Espanha e que chega agora a Portugal, convida a novas experiências por meio da comida basca, proposta pelo chef Aitor Ansorena. 

Como se chega a estes nomes? Susana Santos explica que “não houve uma seleção. Houve uma negociação porque é importante que o conceito seja querido por eles. Todos temos que acreditar neste conceito e todos temos que acreditar que o Gourmet Experience é mais do que a soma das suas 17 partes”. 

Para os amantes do Club del Goumet, as novidades são boas porque deixa de ser necessário mudar de piso. Existem ainda ofertas de experiência de bar, uma seleção de charutos, sobremesas e chás.

De acordo com o El Corte Inglés, a nova aposta, que representa um dos grandes pilares da estratégia para 2018, representa a criação de 250 novos postos de trabalho, sendo que “todos os colaboradores receberam formação interna e externa”. Uma formação que, Susana Santos, explica que é “exigente”. “A formação em áreas de produto (vinhos, bebidas, enchidos, curados, chocolates, etc.) envolveu a participação de uma dezena de fornecedores nacionais e estrangeiros. A formação especial inclui técnicas de atendimento, relação e serviço ao cliente”. 

Quem pensa que esta aposta será apenas uma novidade em Lisboa, desengane-se. É possível que chegue, por exemplo, a Gaia? “A longo prazo não dizemos que não”, afirma Susana Santos.
 

Os comentários estão desactivados.