Internacional

França. Mais que uma em dez mulheres diz que foi violada

Estudo afirma que 31% das mulheres foram atacadas pelos companheiros e que metade eram menores na altura da violação.

Uma sondagem abrangente conduzida pelo instituto Ifop, em França, conclui que mais que uma em dez mulheres francesas foi vítima de violação pelo menos uma vez em vida. A sondagem sustenta também que 5% das mulheres inquiridas foi repetidamente violada.

Doze por cento das mulheres acima dos 18 anos que participaram na sondagem online para a Fundação Jean Jaurés diz ter sofrido “penetração sexual com violência, coerção ou surpresa” pelo menos uma vez. Esta é a definição legal de violação de acordo com a lei francesa.

Destas, apenas 15% diz ter apresentado queixa na polícia. No entanto, muitas mais dizem ter ficado traumatizadas. Tanto assim é que, entre os 12% das mulheres que dizem ter sido atacadas, um quinto tentou suicidar-se – quatro vezes acima da média nacional.

Trinta e um por cento das mulheres atacadas afirmam que foram violadas pelo companheiro. Dezanove por cento diz que o ataque foi cometido por um conhecido e 17% afirma ter sido atacada por um etranho. Quarenta e dois por cento dos ataque ocorreram em casa.

Metade das mulheres inquiridas afirma que era menor no momento do ataque.

A sondagem foi realizada pelo instituto Ifop entre os dias 6 e 13 de fevereiro e obteve resposta online de 2167 mulheres acima dos 18 anos.

Segundo a Fundação Jean Jaurés, o estudo revela que mais mulheres estão dispostas a partilhar as suas experiências graças ao movimento #Metoo, que espoletou uma avalanche de denúncias de abusos sexuais por todo o mundo.

O estudo é publicado num momento particularmente crítico em França. No mês passado, o ministro francês do Interior anunciou que as queixas de abusos sexuais e violação no último trimestre de 2017 aumentaram 31,5% em relação ao ano anterior, factor que atribuiu ao clima de denúncias.