Cultura

Diogo Piçarra sobre acusações de plágio: “Nunca ouvi aquela música na minha vida, nem sequer sabia da existência daquela canção”

Após toda a polémica que tem surgido nas redes sociais durante o dia de hoje, o músico dá a primeira entrevista para esclarecer a situação. 

Em entrevista ao Observador, após acusações de plágio de que foi alvo ao longo deste dia, o cantor nega tê-lo feito, garantindo que “nunca tinha ouvido aquela música”.  

O músico está a ser acusado de ter plagiado a canção “Abre os Meus Olhos”, de um pastor da IURD, na música que levou ao Festival da Canção: “Canção do Fim”, e que lhe deu vantagem na segunda semifinal que se realizou ontem, domingo.

“Nunca ouvi aquela música na minha vida, nem sequer sabia da existência daquela canção e nem sequer me associo à Igreja ou à IURD. Acho que fui o que fiquei mais surpreendido no meio disto porque achava que tinha tido uma ideia brilhante. É a sina do compositor que aconteceu novamente e desta vez calhou-me a mim. Isto acontece a todos, toca a todos e só quem não cria arte é que não sofre com isto.”, declarou Diogo Piçarra ao Observador.

Contudo, o músico reconhece as semelhanças entre ambos os temas, mas defende-se alegando que os dois temas têm “uma melodia tão simples, tão elementar, que é quase inevitável ser parecida a muita coisa”.

“Já está quase tudo inventado, todas as progressões, todas as melodias, só resta variar o que já foi inventado. Neste caso se eu conhecesse aquela música de antemão teria variado um pouco”, disse o cantor ao mesmo jornal.

O cantor português concluiu a entrevista garantindo que “nunca iria participar num concurso nacional com a visibilidade internacional do Festival da Canção com uma música parecida com a da IURD”. “Acho que é ridículo. Quem me conhece sabe que eu sou honesto, sou sincero e admitiria qualquer coisa que fizesse de errado”, acrescentou.