Politica

"Não podemos continuar a ter dois países, um litoral mais rico e um interior extremamente abandonado"

Cristas quer dar prioridade ao desenvolvimento do Interior do país

No seu discurso de encerramento no 27º Congresso do CDS-PP, em Lamego, Viseu, Assunção Cristas referiu que dar prioridade à demografia, território e inovação, insistindo na criação de um “estatuto fiscal do interior”.

"O interior da nossa visão não se desenvolve com mais políticos, mais entidades, mais institutos, mais burocracia! O interior desenvolve-se fazendo dele uma zona franca regulatória, o sítio da Europa onde mais facilmente se pode testar uma ideia, o local privilegiado para crescer e fazer crescer”, afirmou.

A líder propôs a criação de um “um estatuto fiscal de benefício para o interior e uma verdadeira zona franca regulatória para que a inovação possa florescer”.

Cristas sublinhou ainda que "não podemos continuar a ter dois países, um litoral mais rico e um interior extremamente abandonado”.

“Há quem diga que o interior é para passar férias, que não vale votos. Não pensamos assim no CDS. Desde a nossa fundação somos um partido nacional, que preserva e aposta no território e no mundo rural. Sabemos que todos somos Portugal!", acrescentou.