Internacional

Microsoft acusada de mais de 200 casos de assédio sexual

Os casos dizem respeito a um período entre 2010 e 2016

A Microsoft está acusada de 238 casos de assédio sexual e também de discriminação sexual, entre um período relativo a 2010 e 2016. Os casos dizem respeito a colaboradores nos Estados Unidos da América (EUA), com cargos técnicos, indica  Engadget.

Relativamente às acusações de discriminação sexual, estas incluem o impedimento de aumentos salariais, assim como promoções vetadas a mulheres (colaboradoras) da tecnológica de Redmond.

A empresa já veio a publicar negar todas as acusações feitas, indicando que gasta mais de 55 milhões de dólares, cerca de 44 milhões de euros), para promover a diversidade e inclusão dentro da força laboral.