Sociedade

Professora que terá revelado exame nacional de Português constituída arguida

Em causa está a ex-presidente da Associação de Professores de Português, Edviges Ferreira, que foi hoje constituída arguida na sequência da fuga do exame nacional de Português no ano passado. 

A professora que terá revelado os temas do exame de Português a uma das suas alunas foi esta sexta-feira acusada pelo Ministério Público. O nome da professora não é revelado pelo MP mas, de acordo com o Expresso, terá sido a presidente da Associação de Professores de Português, Edviges Ferreira, a responsável pela fuga de infirmação. 

Em causa podem estar, de acordo com a nota do MP, crimes de violação de segredo por funcionário e abuso de poder.

O caso remonta a junho de 2017. Dias antes do exame nacional de português circulou nas redes sociais um ficheiro de áudio em que a professora terá revelado os conteúdos do exame.

A Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa refere que o MP requereu o julgamento da professora que, “enquanto Representante da Associação de Professores de Português, foi designada para, em nome desta, auditar as provas”.

A professora está atualmente sujeita a Termo de Identidade e Residência.