Sociedade

Fizz. Carlos Silva entrou em Portugal vindo de Espanha

Banqueiro está a ser ouvido no Campus de Justiça

O banqueiro luso-angolano Carlos Silva, uma das testemunhas chave na Operação Fizz, entrou em Portugal por via terrestre, vindo de Espanha.

Carlos Silva aceitou vir a Lisboa depor depois de o tribunal ter tentado por diversas vezes notificá-lo e de ter decidido participar do Banco Privado do Atlântico por desrespeito e falta de colaboração com a Justiça. Inicialmente a hipótese avançada era que a audição fosse feita por videoconferência, tendo depois sido acordado que viria pessoalmente ao Campus da Justiça.

O banqueiro é considerado uma testemunha chave no julgamento da Operação Fizz ´- o procurador Orlando Figueira disse que tinha sido Carlos Silva a contratá-lo para o setor privado (através da sociedade Primagest), num acordo de cavalheiros em que prometia não referir o nome dos próprios advogados e do banqueiro luso-angolano.