Sociedade

Álvaro Siza indignado. "Não percebo como isso foi possível"

Ao i, o arquiteto mostra-se indignado com a transformação do Palácio dos Condes de Mesquitela, que levou à sua desclassificação como imóvel de interesse público. E já esteve envolvido numa situação semelhante

“Não percebo como isso foi possível, porque naturalmente quando se deram as obras teve de se apresentar um projeto”. Foi assim que o arquiteto Álvaro Siza Vieira, distinguido por várias vezes com o Prémio Valmor e Municipal de Arquitetura - que premeia a qualidade arquitetónica dos edifícios na cidade de Lisboa - e por outros tão importantes quanto o  Pritzker, reagiu à notícia da desclassificação do Palácio dos Condes de Mesquitela como imóvel de interesse público pelo Ministério da Cultura.

Em causa, justifica a tutela numa portaria publicada em “Diário da República”, está o facto de o imóvel ter sido “alvo de uma profunda intervenção destinada à sua adaptação para tipologias de habitação familiar, intervenção da qual decorreu a perda irreversível da integridade, da autenticidade, do caráter matricial, das relações volumétricas e do valor memorial do conjunto original”. A intervenção resultou na perda das “características patrimoniais e culturais anteriormente valorizadas e julgadas essenciais à manutenção da classificação de âmbito nacional”.

O arquiteto, que diz não conhecer o projeto em causa, mostra-se indignado com a situação e acrescenta ao i que “estes projetos têm de passar pelas entidades competentes”. Traça, por isso, três cenários: “Ou o projeto não foi sequer apresentado, ou foi apresentado e aprovado, ou foi aprovado um projeto que depois não foi executado tal como tinha sido aprovado”.

Ainda assim, Álvaro Siza diz não estranhar o caso e recorda que no passado algo semelhante aconteceu com um dos seus projetos. “Não me admira. Num edifício meu, que também foi classificado dentro da área de proteção, foi feita uma intervenção desastrosa”. O arquiteto refere-se à Casa de Chá da Boa Nova (distrito do Porto), naquela que foi uma das primeiras suas obras. “Não se percebe bem como podem acontecer coisas destas...”, remata o arquiteto.

O Palácio dos Condes de Mesquitela, situado na freguesia da Misericórdia, em Lisboa, foi classificado como imóvel de interesse público em 1993. Foi edificado no século XVII pela família Sousa de Macedo - os Condes de Mesquitela, a partir do século XVIII. Foi alvo de uma recuperação depois do terramoto de 1755.

A transformação em condomínio de luxo arrancou em 2016.