Sociedade

'EPAL não vai cortar a água à União Zoófila', garante a CML

Associação tinha uma dívida de mais de 2000 euros

A Câmara Municipal de Lisboa (CML) confirmou esta terça-feira que "a Empresa Pública de Águas Livres (EPAL) não vai cortar a água à União Zoófila".

"Ontem tivemos oportunidade de falar com a EPAL e ninguém vai cortar a água a ninguém. A EPAL não vai cortar a água à União Zoófila", disse à agência Lusa vice-presidente Duarte Cordeiro. Para além disso, a CML refere que a autarquia "está disponível para apoiar o plano de atividades da União Zoófila, num montante superior ao valor" da tarifa da água.

Recorde-se que a União Zoófila usou o Facebook para divulgar um texto, no qual explica que não tem dinheiro para pagar uma fatura da água no valor de 2.450,10 euros.

“Hoje vence a fatura da água da União Zoófila. O valor total, correspondente ao consumo de Maio, ascende a 2.450, 10 euros. Deste montante, 1.140, 59 euros devem ser pagos à EPAL [Empresa Portuguesa de Águas Livres]. O resto – 1.309, 51 euros – à Câmara Municipal de Lisboa. A União Zoófila não pagará a conta hoje. Não o fará porque não tem dinheiro. Hoje. A União Zoófila espera que a água não seja cortada. Porque a conta não será paga hoje, mas sê-lo-á, com a ajuda dos que apoiam o nosso trabalho, acreditamos, até ao final da semana”, lê-se na publicação.

Quanto à possível isenção de taxas relativas a saneamento e resíduos urbanos, Duarte Cordeiro explicou ainda que "a União Zoófila, à semelhança de outros utilizadores não-domésticos, beneficia de uma tarifa social de 25%". "Não está prevista a isenção da tarifa, está prevista a tarifa social", porque "o regime tarifário de Lisboa prevê a tarifa social a consumidores não-domésticos", explicou à Lusa.

"Já dissemos à União Zoófila que estamos disponíveis para financiar a associação através do regime de apoios do município. Permite-nos apoiar as atividades da União Zoófila num montante superior ao valor da tarifa, para no fundo comparticipar em muitas despesas", acrescentou.