Politica

Deputados condenam “realidade cruel e inaceitável” nos EUA

Os 21 deputados socialistas defendem que as imagens de crianças “atrás de grades em centros de detenção” são “chocantes e um atentado flagrante contra os direitos humanos”.

Os deputados socialistas escreveram uma carta aberta ao embaixador Jorge E. Glass com um apelo aos Estados Unidos da América para que “ponha fim imediato a esta política de separação das crianças das suas famílias, no cumprimento estrito da lei nacional e internacional e no respeito pelos Direitos Humanos”. Uma realidade que os socialistas classificam como “cruel e inaceitável”.

A carta dirigida ao embaixador dos Estados Unidos em Portugal considera que “esta política, para além de provocar um resultado desumano e de violência extrema

contra estas crianças e as suas famílias, viola, com clareza, os princípios fundamentais do direito internacional humanitário”.

Os 21 deputados socialistas defendem ainda que as imagens de crianças “atrás de grades em centros de detenção” são “chocantes e um atentado flagrante contra os direitos humanos”.

A carta é assinada, entre outros, pelos deputados Catarina Marcelino, Paulo Pisco, Constança Urbano de Sousa, Isabel Moreira, Maria Antónia Almeida Santos, Edite Estrela e Helena Roseta.