Vida

Afinal, ‘acordar com os pés de fora’ tem mesmo impacto no resto do seu dia

Para além do stress, a perda de memória não vai ajudar nestes dias mais caóticos

A universidade na Pensilvânia, nos Estados Unidos, desenvolveu um estudo que revela que existe uma razão para ‘acordar com os pés de fora’: o stress. Segundo os investigadores, as noites mal dormidas devido a um estado mais agitado levam a que o ser humano possa “pensar acerca de situações futuras e antecipar casos antes de os mesmos acontecerem, como forma de ajudar a prever certos eventos”.

Durante a investigação, foram analisados os hábitos de vários indivíduos e a universidade chegou à conclusão que quando as pessoas acordam stressadas,a pensar nos desafios que poderão enfrentar durante o dia, a capacidade de memorizar vai reduzindo ao longo do dia. A memória ajuda as pessoas a aprenderem e reterem informação, mesmo quando estão stressadas.

Um dos investigadores, Jinshil Hyun, diz, citado pelo site da Universidade, que “as pessoas podem começar a antecipar algo, o que pode ajudar na preparação de evento. No entanto, este estudo sugere que isto também consegue ser prejudicial, independentemente de se chegar a concretizar ou não”.

O diretor do Centro para Envelhecimento Saudável da Pensilvânia, Martin Sliwinski, acrescenta que “acordar com os pés de fora” pode ser ainda mais difícil para os adultos, visto que – para além de afetar a memória cognitiva – a capacidade de memorizar em si vai reduzindo com o avançar da idade.  

Para já, os investigadores apenas aconselham que "enfrente os desafios do seu dia de forma optimista e não se foque nos momentos negativos”.