Sociedade

Pedrógão. Revita vai rever os processos de reconstrução das casas

Em causa está a denúncia de que estão a ser utilizados fundos para reconstruir casas que não são de primeira habitação

Presidente do Fundo Revita anunciou que será feita uma investigação à má utilização dos fundos para a reconstrução das casas em Pedrógão Grande, depois da denúncia da Revista Visão.

À Antena 1, Rui Fiolhais admite que não tinha conhecimento das situações mas avança que os processo serão revistos. “Estamos a falar aqui de alguns casos dos quais há dúvidas e as dúvidas são para ser esclarecidas com todo o rigor e toda a transparência”, disse o presidente.

“Não se deve tomar a parte pelo todo”, alertou ainda garantindo que a “gestão destes fundos sempre teve por objetivo, de facto, garantir soluções concretas para as pessoas que tinham primeira habitação nesse território e a habitação foi afetada”. “São essas pessoas – e já entregámos várias casas – que já estão a viver nas casas que não tinham há cerca de um ano atrás e é para isso que esses fundos foram montados”, acrescentou.

Rui Folhas reforçou que as contas prestadas pelo Fundo Revita sempre foram “claras por parte de todos os envolvidos” e que é feita uma “prestação de contas trimestral e com aferição dessas contas por parte da Inspeção Final das Finanças”.

A Revista Visão denunciou esta quinta-feira que há casas a ser reconstruídas em Pedrógrão Grande que não são de primeira habitação e, por vezes, nem sequer foram atingidas pelo fogo.