LifeStyle

Oito razões pelas quais o sexo pode estar a causar desconforto

Este é um problema que afeta 75% das mulheres

Às vezes, algumas mulheres, podem experienciar a sensação de dor durante o ato sexual. Existem vários motivos para isso estar a acontecer e 75% das mulheres dizem sentir algum desconforto, mas quais são os motivos?

O The Huffington Post consultou alguns peritos nesta área como terapeutas sexuais e ginecologistas, por exemplo, pois, segundo estes, o sexo deve ser fruto de prazer e, se não é o caso, pode haver algo de errado com a sua saúde.

Uma das razões pelas quais as mulheres podem sentir desconforto pode ser devido à falta de estimulação e, por consequência, não se dá a lubrificação natural. De acordo com a terapeuta sexual Vanessa Marin, isto pode dar-se devido ao facto de as mulheres sentirem mais pressão quanto à sua performance durante o ato sexual devido ao mito de que os “homens estão sempre prontos para a ação”. A solução passa por disponibilizar mais tempo nos preliminares ou comprar um lubrificante por exemplo, explica a especialista.

Outra razão passa por uma condição complicada: Vaginismo. O Vaginismo é “a híper contração involuntária dos músculos da zona pélvica, com a penetração ou tentativa desta”, de acordo com a diretora do Programa de Medicina Sexual Feminina da Universidade de Stanford, Leah Millheiser. Segundo Millheiser, há normalmente uma explicação para este fenómeno e costuma estar ligada a componentes sentimentais, como traumas (assédio ou violação, por exemplo). Estes eventos podem causar ansiedade quando se dá a tentativa de penetração, resultando na contração dos músculos como um “mecanismo de proteção involuntário”, explicou.

A dor pode ainda ter como causa a contração de uma infeção sexualmente transmissível, como a clamídia, herpes ou gonorreia. Estas infeções dão origem a dores na zona pélvica ou na vulva, durante o ato sexual. Para estas doenças, existem tratamentos e medicação.

A quarta razão tem a ver com a técnica usada pelo seu parceiro ou parceira. Vanessa Marin defende que o sexo acaba por ser uma experiência educativa e que cada um deve tentar aprender e chegar àquilo a que dá mais prazer ao seu parceiro. A especialista diz que é sempre bom perguntar “isto ou aquilo?”.

Pode também ser mais uma condição complicada: endometriose. A endometriose é uma condição em que as células do tecido que constituem o útero (endométrio) crescem fora da zona normal, como por exemplo nos ovários, na bexiga ou no peritoneu pélvico, resultando em dores intensas durante o sexo. Isto acontece porque os órgãos movem-se durante o sexo e se um tecido implica que a pélvis, por exemplo, fique menos flexível, será mais doloroso para si. Este tecido pode ser removido cirurgicamente ou também há a opção de um tratamento hormonal.

A sexta razão passa por uma ajuda à vida de muitas mulheres: a pílula. Este contracetivo está relacionado com alguns casos de dores intensas. Em causa, está a regulação das hormonas: por vezes, há pílulas que baixam o nível de produção de testerona e estrogénio, o que faz com que a pele que envolve a vulva fique mais “fina” causando irrigação, comichão e desconforto durante o ato sexual, explicou Leah Millheiser.

Agora, para as mães. Mulheres que estejam a amamentar podem ter dores durante o ato sexual.  Leah Millheiser explicam que os níveis hormonais mudam e podem ter impacto na lubrificação natural da vagina e a pele muito fina.

Por fim, problemas gastrointestinais podem estar no núcleo do problema. Prisão de ventre é uma causa comum para a mulher experienciar dor durante o ato sexual, aplicando-se pressão numa parte do corpo que está irrigada.