Sociedade

Metro de Lisboa vai vender património considerado não estratégico para expandir rede e comprar novos equipamentos

Empresa prevê investir um total de cerca de 266 milhões de euros.

O Metropolitano de Lisboa tenciona vender o seu património imobiliário - considerado não estratégico - para financiar a expansão da rede e a compra de novos equipamentos. A empresa prevê gastar um total de 266 milhões de euros neste plano.

Entre os ativos a vender, está um terreno de seis hectares situado em Sete Rios, em Lisboa, com o qual a empresa deverá encaixar entre 30 a 40 milhões de euros, escreve o Jornal de Negócios (acesso pago).

Além disso, há também um conjunto de apartamentos situados entre Odivelas e Sintra, uma loja em Telheiras e ainda uma vivenda. Fonte oficial do Metro de Lisboa, em declarações ao Jornal de Negócios,  confirmou que “tem em desenvolvimento um projeto para a alienação da componente do seu património imobiliário que não seja estratégico para o core business da empresa, inserindo-se nele as instalações de Sete Rios”.