AirHelp

Voos baratos? Maior o risco

66% dos passageiros europeus sentem que as companhias aéreas não os informam o suficiente dos seus direitos

  • 66% dos passageiros europeus sentem que as companhias aéreas não os informam o suficiente dos seus direitos;

Vale a pena recordar o essencial para fazer valer os seus direitos enquanto passageiro aéreo:

No caso de atrasos superiores a três horas, cancelamentos de voos (sem notificação com um mínimo de 14 dias de antecedência) ou impedimento de embarque, os passageiros podem ter direito a uma compensação de 125 € a 600 € por pessoa, em determinadas circunstâncias. As condições para que tal aconteça determinam que o aeroporto de partida se encontre dentro da UE ou que a companhia aérea tenha sede na UE. Além disso, a razão da perturbação deve ser causada pela companhia. O direito à compensação financeira pode ser reclamado no momento e até ao prazo máximo de 3 anos a contar da data da perturbação.

Voo sobrelotado? Não abdique do seu lugar

Se o seu voo estiver sobrelotado, pense duas vezes antes de abdicar do seu lugar, em troca de upgrades ou outras ofertas. A tripulação pode propor-lhe aquilo que parece ser uma oferta irrecusável, contudo, a história pode ser outra depois da descolagem ou de ficar em terra. Voluntariar-se para renunciar ao seu lugar nem sempre é um bom negócio, é um risco.

O que fazer para não perder o lugar por overbooking (sobrelotação do voo)

Siga as dicas da AirHelp, empresa especializada na defesa dos direitos dos passageiros aéreos e líder mundial na obtenção de compensações por perturbações em voos:

Dicas da AirHelp

1. Evite horários de pico

Estatisticamente a parte da manhã ou da noite são os melhores horários para voar, o que significa que há menos hipóteses de sobrelotação no voo.

2. Quanto mais barato, maior é um risco

Sabia que se reservar um bilhete mais barato, pode ter o embarque recusado? Segundo o Contrato de Transporte de muitas companhias aéreas, os passageiros que compram os bilhetes mais baratos são os que têm mais probabilidades de não conseguirem embarcar em relação aos passageiros que têm um bilhete mais caro.

3. Faça check-in antecipado

É importante que se certifique de fazer sempre o check-in com antecedência e chegar à porta de embarque dentro do horário previsto, de modo a evitar o incómodo de ter o embarque recusado. Para algumas companhias aéreas, em caso de um overbooking, os passageiros que fazem o check-in por último ou os últimos a chegar à porta de embarque são os que correm maior risco de não embarcar.

4. Viaje acompanhado

Pessoas com deficiências, menores não acompanhados e pessoas que viajam com crianças têm menos probabilidades de ficarem em terra. No Contrato de Transporte de muitas companhias aéreas há uma referência a esta categoria de passageiros, isto é, estes passageiros serão as últimas pessoas a terem o embarque recusado em caso de sobrelotação.

Conheça os seus direitos enquanto passageiro aéreo na plataforma da AirHelp.