Tecnologia

Estão abertas as candidaturas para a criação de um porto espacial nos Açores

A audição dos interessados começa hoje e termina no dia 31 de outubro

DR  

O secretário regional do Mar, Ciência e Tecnologia dos Açores, Gui Menezes, anunciou esta segunda-feira o novo projeto para o arquipélago. Este é um desafio à escala mundial, que convida entidades a criarem e explorarem um porto espacial na ilha de Santa Maria.

Segundo o jornal Público, a audição dos interessados começa hoje e acaba no dia 31 de outubro, onde terá de ser apresentado um projeto para uma base espacial: construção das instalações e gestão desta.

Esta base espacial seria dedicada a lançamentos de pequenos satélites, ou seja, satélites com menos de 500 quilogramas. Um dos requisitos que deve ser preenchido e apresentado na “audição formal” é o plano para o primeiro lançamento, que deve ser em 2021, e a colaboração com empresas portuguesas durante todo o processo. Para além disto, os candidatos devem apresentar quais os possíveis impactos ambientais para a ilha com os lançamentos.

Juntamente com Gui Menezes, vai estar também envolvido na seleção da entidade para o porto espacial o ministro da Ciência e Tecnologia, Manuel Heitor.

De acordo com a mesma publicação, um dos candidatos que vai à audição ainda hoje é a Fundação para a Ciência e Tecnologia e Estrutura de Missão, com o programa Atlantic ISL (International Satellite Launch).

De acordo com Manuel Heitor, será concedido um apoio para quem conseguir esta área para o porto espacial, no valor de seis milhões de euros. O Público refere que o ministro falou também de criação de bolsas de investigação e o desenvolvimento nesta área. “É essencial mobilizar as populações para construir o futuro. Sobretudo nesta área em que as imagens que as pessoas têm são dos grandes foguetões que saem da Flórida, de Kourou (Guiana Francesa) ou da China. Aqui estamos a falar de uma coisa radicalmente diferente. É uma nova geração de pequenos lançadores, de baixo impacto ambiental e de ruído, com uma nova geração de combustíveis”, afirmou.