Desporto

Ajax-Benfica. Águia negra após derrota com golo nos descontos

Vida mais complicada para os encarnados na Liga dos Campeões

Um encontro em que cada pormenor pode fazer a diferença. Quem o disse foi Rui Vitória, esta segunda-feira, na antevisão ao jogo do Benfica-Ajax, em Amesterdão, a contar para a 3.ª jornada do Grupo E da Liga dos Campeões.
E tinha razão. Terminada a primeira metade do encontro na Johan Cruijff Arena, o marcador não teve quaisquer alterações. Pelo menos o placard eletrónico do estádio, já que o mesmo não aconteceu em muitos sites de apostas e outras plataformas digitais que acompanham ao segundo cada encontro desta prova milionária. É que nos primeiros 45 minutos de um jogo bastante dividido, com oportunidades de parte a parte, o grande momento da primeira parte acabou por ser a intervenção de Conti.
Aos 41 minutos, o central argentino foi o responsável por fazer o conjunto encarnado seguir para o balneário em igualdade depois de um corte  in extremis após desvio de Dolberg. Um “pormenor” que obrigou vários sítios da internet a repor novamente o “zero” na linha criada para o clube holandês depois de o “no goal” conseguir ser naturalmente mais perceptível nas várias repetições da jogada. 
A par do Ajax-Benfica, também os restantes jogos (já lá vamos) referentes a esta fase da prova seguiam para intervalo e, por esta altura, só na Holanda não havia qualquer golo a registar.

golo solitário no último suspiro A segunda parte prometia, mas foi o Ajax quem regressou com mais vontade de mudar o rumo do encontro. Após Conti ter desempenhado o papel de guardião dos encarnados, foi mesmo Vlachodimos a garantir que os holandeses não chegassem à vantagem. Numa altura em que faltavam cerca de 15 minutos para o final do tempo regulamentar, o alemão negou um golo que parecia quase certo, depois de uma jogada rápida do Ajax que terminou com um remate de Van de Beek após cruzamento de Tadic.
Apesar de Rui Vitória ter garantido que a estratégia não passava por “levar um pontinho” da capital holandesa, o destino da águia acabou por ser ainda pior.
Quando tudo apontava para que o jogo terminasse com o mesmo resultado que o encontro de 1972 (última vez que as duas equipas se defrontaram, tendo o encontro terminado empatado e sem golos) eis que Mazraoui faz o golo solitário do encontro. No último suspiro, leia-se no último minuto do prolongamento, o lateral do Ajax não desperdiçou a sobra e rematou para o fundo das redes da baliza encarnada.
Com a derrota, o Benfica mantém o terceiro lugar deste agrupamento, com três pontos, menos quatro que os líderes Ajax e Bayern Munique, que ontem venceu o AEK, na Grécia, por 2-0, com golos de Martínez (61’) e Lewandowski (63’). 

cr7 regressa a old trafford A noite de Champions desta terça-feira ficou ainda marcada pelo regresso de Cristiano Ronaldo a Old Trafford. A Juventus foi até Manchester medir forças com o United, clube que o internacional português representou entre 2003 e 2009. O craque português não marcou mas assistiu para o único golo da partida, apontado por Dybala. Com este resultado, o conjunto de Turim segue cada vez mais líder do grupo H, com 9 pontos, mais cinco que os red devils, segundos classificados.

Apesar de o capitão das Quinas ter sido o grande destaque da noite (além da assistência viu De Gea a negar-lhe o tento na antiga casa), José Mourinho também se tornou protagonista, mas ainda antes do apito inicial. 
O técnico português “fartou-se” de estar 45 minutos no autocarro dos red devils, “parado” no trânsito de Manchester, e tomou a decisão de ir a pé na última parte do percurso. Garantiu, depois, que nenhum adepto o reconheceu e lembrou que a equipa já havia sido multada pela UEFA pelo atraso no último encontro. “Os jogadores ficaram no autocarro 45 minutos e eu saí de capuz entre os adeptos e ninguém me reconheceu. Foram só dois minutos”, declarou à BBC.
Por sua vez, no grupo G, o Real Madrid conseguiu silenciar, mesmo que por momentos, o ambiente de crise com a vitória (2-1) sobre o Plzen. Um triunfo que vale a liderança deste agrupamento aos merengues, ainda que a par da Roma, que após vencer os russos do Moscovo por 3-0, também ocupam o topo da tabela com 6 pontos.
Recorde-se que Lopetegui está na corda bamba devido aos maus resultados que tem acumulado no comando técnico do Real Madrid. Há semanas que os desportivos espanhóis têm divulgado prazos sobre a possível saída do basco do comando técnico dos merengues e ao que tudo indica a derradeira prova de fogo vai acontecer no próximo domingo, dia em que o Real Madrid vai até Camp Nou defrontar o Barcelona, em encontro da 10.ª jornada da Liga espanhola. Em caso de derrota, a saída, diz a imprensa, parece ser um acontecimento certo. Mas, afinal, quanto irá custar ao Real Madrid despedir o antigo selecionador espanhol? Segundo o jornal Sport, o basco poderá receber uma verba de 18 milhões de euros se sair do Real, valor que corresponde aos três anos de contrato que tem acertados com o emblema da capital espanhola (seis milhões de euros limpos por temporada). O Real Madrid ocupa atualmente a 7.ª posição na tabela (4 vitórias, 3 derrotas e 2 empates), a quatro pontos do líder Barcelona. 

Por último, destaque também para a vitória (3-0) do Manchester City sobre o Shaktar Donetsk de Paulo Fonseca. Depois de David Silva e Laporte terem colocado os citizens em vantagem, Bernardo Silva, que havia entrado em campo há dois minutos, selou o resultado final do jogo aos 70’. Um triunfo que colocou os citizens no topo da tabela do grupo F depois do empate a três bolas entre o Lyon e o Hoffenheim.