Desporto

FC-Porto-Varzim. A solução estava no banco

Os azuis-e-brancos ainda sofreram, mas conseguiram vencer o Varzim e garantir a liderança do Grupo C na Taça da Liga

Depois da subida à liderança do campeonato português, graças à vitória sobre o Feirense (2-0), no domingo, e do deslize encarnado no Jamor, o FC Porto voltou a entrar em ação. Na noite de hoje, os azuis-e-brancos receberam o Varzim (II Liga) para a 2.ª jornada do Grupo C da Taça da Liga. 

Ainda antes do apito inicial, o grande destaque foi para o onze do dragão, totalmente renovado relativamente ao jogo com o conjunto de Santa Maria da Feira. 

Vaná, João Pedro, Mbemba, Chidozie e Jorge; Otávio, Bazoer, Sérgio Oliveira e Hernâni; Adrián López e André Pereira foram as apostas de Sérgio Conceição. Entre os escolhidos, destaque desde logo para as estreias de Mbemba e Chidozie, jogadores que ainda não tinham somado qualquer minuto esta época.

Primeira parte fraca do dragão O FC Porto entrou relaxado no jogo e a equipa da Póvoa do Varzim aproveitou as distrações do campeão nacional. De tal forma que o oitavo classificado da 2.ª liga de futebol chegou à vantagem à passagem da meia hora de jogo. Jonathan Toro apontou o primeiro golo do encontro (e o seu 2º golo na prova) no Estádio do Dragão, local a que o conjunto poveiro chegou como líder deste agrupamento, após a vitória por 2-1 sobre o Belenenses. O FC Porto, que havia empatado a uma bola com o Chaves na 1.ª jornada, estava obrigado a vencer este encontro para continuar a depender apenas de si para chegar à final four da Taça da Liga e via agora a sua vida mais complicada. 

Apesar de uma primeira metade fraca por parte dos azuis-e-brancos, o conjunto da casa conseguiu chegar à igualdade em cima do intervalo. Naquela que foi provavelmente a melhor jogada portista nos primeiros 45 minutos, Bazoer conseguiu bater o guardião poveiro Emanuel Novo e repor a igualdade no marcador. 

Solução estava no banco Na urgência de mudar o rumo do jogo, Sérgio Conceição não demorou a promover alterações: no início da segunda metade lançou Corona para o lugar de Jorge e, pouco depois, chamou Tiquinho Soares para render João Pedro. E a estratégia não demorou a dar resultados. O brasileiro só precisou de oito minutos para confirmar a revitavolta portista, após cruzamento de Sérgio Oliveira. 

A festa, porém, não durou mais de dois minutos. Depois da assistência para o golo portista, o médio dos azuis-e-brancos isolou Haman, jogador do Varzim que, após ganhar um ressalto a Vaná, não falhou o alvo. Com tudo empatado (2-2) novamente, e num momento em que falatavam jogar-se quinze minutos até ao fim do tempo regulamentar, o FC Porto aumentou a pressão ofensiva, com Óliver Torres a ser a última aposta do técnico do dragão. 

Contudo, acabou mesmo por ser um autogolo de Payne, num lance de insistência dos azuis-e-brancos, a colocar o FC Porto novamente em vantagem. Pressionado por Soares, o jogador do Varzim empurrou para o fundo da baliza à guarda de Emanuel Novo.

Com o FC Porto de novo na frente do marcador, André Pereira selou o resultado final (4-2) a quatro minutos do fim: o português só precisou de encostar de cabeça após um cruzamento perfeito do mexicano Corona. 

Com o triunfo, o FC Porto salta para a liderança do Grupo C, com quatro pontos, mais um que o Varzim, 2.º classificado com três pontos. Segue-se o Chaves e o Belenenses, com um ponto e zero pontos, respetivamente.