Internacional

Brasil. Sérgio Moro aceita convite de Bolsonaro para ser ministro da Justiça

O juiz que lidera a investigação Lava Jato, voou esta quinta-feira para o Rio de Janeiro para se encontrar com o mais recente eleito presidente do Brasil, Jair Bolsonaro.


Sérgio Moro aceitou o convite de Bolsonaro para liderar o Ministério da Justiça.

O juiz afirma que decidiu assumir a pasta pela “perspectiva de implementar uma forte agenda anticorrupção e anticrime organizado".

Jair Bolsonaro já tinh manifestado interesse em que Sérgio Moro assumisse a pasta da Justiça no Brasil.

Em declarações à imprensa brasileira, o juiz, ao longo da semana, afirmou que estava a ponderar aceitar a proposta do presidente do Brasil. Hoje, voou para o Rio de Janeiro,  para se encontrar com Jair Bolsonaro e discutir os termos da proposta.

"Fiz com certo pesar, pois terei que abandonar 22 anos de magistratura. No entanto, a perspectiva de implementar uma forte agenda anticorrupção e anticrime organizado, com respeito à Constituição, à lei e aos direitos, levaram-me a tomar esta decisão. Na prática, significa consolidar os avanços contra o crime e a corrupção dos últimos anos e afastar riscos de retrocessos por um bem maior", disse Sérgio Moro, através de uma nota divulgada depois da reunião com Bolsonaro.

Jair Bolsonaro utilizou o Twitter para confirmar a presença de Sérgio Moro no Governo: "O juiz federal Sérgio Moro aceitou nosso convite para o Ministério da Justiça e Segurança Pública. Sua agenda anticorrupção, anticrime organizado, bem como respeito à Constituição e às leis será o nosso norte!", pode ler-se.

Sobre a investigação Lava Jato, o juiz disse que esta continuará a ser conduzida pelos juízes em Curitiba, mas que se vai afastar de todo o processo. "A Operação Lava-Jato seguirá em Curitiba com os valorosos juízes locais. De todo modo, para evitar controvérsias desnecessárias, devo desde logo afastar-me de novas audiências.", disse o novo ministro da Justiça do Brasil.