Desporto

Benfica: Margem de erro já é menor que zero

O Benfica voltou a defraudar as expectativas na Taça, apesar do apuramento. Esta terça-feira joga o futuro europeu em Munique, com a Champions a fugir à velocidade de Bolt...

Findo o interregno para as seleções, e com a quarta ronda da Taça de Portugal ultrapassada, chega a semana de (quase) todas as decisões nas competições europeias. Neste particular, é o Benfica quem está mais ‘apertado’: as águias, que ainda não conseguiram retomar o trilho das boas exibições - apesar de duas vitórias consecutivas -, estão obrigadas a vencer na dura deslocação a Munique, perante o Bayern, para continuar a alimentar esperanças de qualificação para os oitavos-de-final da Liga dos Campeões. Qualquer outro cenário significará automaticamente o adeus à competição, restando depois a consolação da Liga Europa - que também ainda tem de ser confirmada nestas últimas duas jornadas.

É indesmentível: a vida não tem corrido de feição aos encarnados nos tempos mais recentes. A vitória no clássico com o FC Porto, a 7 de outubro, deixava o Benfica na frente do campeonato e com uma confiança desmedida, mas tudo se esfumou com as três derrotas que se seguiram: primeiro em Amesterdão, nos últimos instantes do primeiro jogo com o Ajax (1-0), e depois no Jamor (2-0 com o Belenenses, SAD) e em pleno Estádio da Luz diante do Moreirense (1-3). A oportunidade de recobro perdeu-se com o segundo encontro diante dos holandeses, na Luz (1-1), onde mais uma vez as fragilidades defensivas ficaram bem patentes.

E nem as duas vitórias conseguidas desde então (1-3 em Tondela e 2-1 caseiro perante o Arouca, para a Taça de Portugal) ajudaram a acalmar os ânimos. Pelo contrário: o triunfo conseguido no último suspiro diante do conjunto da II Liga, mercê de um golo salvador de Rafa, mostrou novamente um Benfica sem ideias e pingo de inspiração - neste particular, só Jonas destoou da mediocridade. No final, um cenário que já se tornou habitual: coro de assobios e lenços brancos dirigidos a Rui Vitória, cuja margem de erro está já abaixo de zero.

No Dragão, tudo diametralmente oposto. O FC Porto lidera a liga, depois de ter superado o Braga na última jornada (1-0, golo de Soares aos 88’), e só precisa de um empate nas duas derradeiras rondas da fase de grupos da Liga dos Campeões para festejar o apuramento para os oitavos-de-final. Aliás, em caso de vitória esta quarta-feira na receção ao Schalke 04, os dragões asseguram mesmo, com uma jornada ainda por disputar, o primeiro lugar no grupo D. Quase perfeito, portanto.

Já no que respeita ao Sporting, a missão de Tiago Fernandes roçou igualmente a perfeição: sob o comando do técnico interino, os leões venceram dois jogos no campeonato, ambos por 2-1 (Santa Clara, fora, e Chaves em casa), e foram a Londres arrancar um saboroso 0-0 ao Arsenal. O surpreendente desaire caseiro dos ucranianos do Vorskla Poltava perante o Qarabag (0-1) permitiu um cenário ainda mais favorável: uma vitória esta quinta-feira no Azerbaijão - já com Marcel Keizer ao leme - garante o apuramento. E mesmo que assim não aconteça, bastará um triunfo na ronda final, na receção ao Poltava.