Internacional

João Lourenço satisfeito com apoio de Lisboa ao repatriamento de fortunas

A visita de Estado de três dias do presidente angolano a Portugal termina hoje

O presidente de Angola mostrou-se hoje satisfeito com o anúncio feito pelo governo português de apoiar o processo de repatriamento de capitais retirados ilicitamente de Angola, aguardando pelos passos concretos que serão dados por Portugal nesse sentido. João Lourenço falava numa conferência de imprensa, em Lisboa, no final da visita de Estado de três dias que realizou a Portugal.

O chefe de Estado angolano destacou que "o simples facto" de o primeiro-ministro português "ter anunciado publicamente de que há essa predisposição das autoridades portuguesas a colaborem no processo de repatriamento (...) já é satisfatório". "Já é muito bom", apontou João Lourenço,

António Costa afirmou ontem, no Porto, que Portugal vai colaborar com Angola no repatriamento de capitais ilicitamente transferidos para o exterior, defendendo que o "dinheiro que pertence a Angola, a Angola seja contabilizado".

"Da parte de Portugal, como não poderia deixar de ser, daremos toda a colaboração às autoridades angolanas, tendo em vista apoiá-las na prioridade que definiram do combate à corrupção, promoção de concorrência leal e recuperação de capitais que estejam indevidamente titulados", afirmou Costa, numa conferência de imprensa conjunta com o Presidente da República de Angola.

Recorde-se que esta visita de Estado de três dias é também a primeira do género de um Presidente angolano a Portugal desde 2009. E envolveu a assinatura de 13 acordos entre os dois governos, tendo João Lourenço anunciado ainda que o chefe de Estado português, Marcelo Rebelo de Sousa, visitará Angola em 2019.

Durante a visita, João Lourenço disse antever "um futuro promissor" nas relações entre Portugal e Angola e prometeu um "clima desanuviado" nas relações entre Luanda e Lisboa, depois de eliminado o "irritante" relacionado com o processo do ex-vice-presidente angolano Manuel Vicente.

A visita de Estado termina hoje e o Presidente angolano regressa a Luanda amanhã.