Desporto

River Plate recusa jogar final da Libertadores em Madrid

O River Plate considera que a decisão de jogar a segunda mão da Taça dos Libertadores em Madrid "prejudica gravemente e severamente" os adeptos do clube, pelo que rejeita a hipótese de disputar o jogo na capital espanhola.

O River Plate publicou hoje um comunicado no seu site oficial onde dá conta da decisão de não jogar a segunda mão da Taça dos Libertadores, frente ao Boca Juniors, em Madrid.

"É incompreensível que o clássico mais importante do futebol argentino não possa ter lugar com normalidade no mesmo país em que, nestes dias, recebe a reunião do G20. O futebol argentino não pode permitir que um bando de adeptos violentos impeça a realização do superclássico no nosso país. Esta decisão prejudica gravemente e severamente os nossos adeptos", diz o comunicado.

Recorde-se que na passada quinta-feira a Confederação sul-americana de futebol (Conmebol) anunciou que o jogo decisivo da Taça dos Libertadores vai ser jogada no Estádio Santiago Bernabéu no dia 9 de dezembro. Esta decisão surge no seguimento do ataque ao autocarro do Boca Juniors.

"As mais altas autoridades do país assumiram responsabilidade pelos incidentes, o que equivale a dizer que o sucedido, que o River lamenta, não foi da responsabilidade do clube. Nesse dia, mais de 66 mil adeptos aguardaram oito horas no estádio", lembrou o clube argentino.