Sociedade

Exonerado diretor de centro de formação da GNR em Portalegre

"Não é admissível a demora na facultação de factos relevantes", justifica ministro

As denúncias de agressões aos formandos durante um treino da GNR em Portalegre motivaram a demissão do responsável pela formação e o governo já a aceitou.

A exoneração do comandante da GNR foi justificada pelo ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita: "não é admissível a demora na facultação de factos relevantes".

O governante afirmou esta manhã, numa cerimónia de entrega de viaturas à GNR na Batalha, que ficou “desagradavelmente surpreendido” com a situação, e comprometeu-se a que fossem disponibilizadas todas as imagens captadas durante a formação em causa, para efeitos de investigação.

Recorde-se que cerca de dez formandos do 40.º curso do Centro de Formação da GNR, em Portalegre, terão sido agredidos durante uma formação, tendo sofrido lesões graves, que nalguns casos obrigaram a internamento e noutros ainda a cirurgias.

O caso, avançado pelo Jornal de Notícias no domingo, deu origem à abertura de um inquérito pelo Ministério Público.