Sociedade

Reclusos em protesto contra as condições da prisão de Bragança

Os guardas prisionais de folga estão a ser chamados para ajudar a resolver a situação

Os reclusos do Estabelecimento Prisional de Izeda, em Bragança, recusaram-se a voltar para as celas, esta sexta-feira, como protesto contra a qualidade da comida servida e as condições da prisão.

Segundo avança o Diário de Notícias, os guardas prisionais que estariam de folga estão a ser chamados para ajudar a situação. Fonte sindical dos presos explicou ao mesmo jornal que os reclusos não aceitaram voltar às camaratas, tendo mesmo provocado um incêndio.

Segundo avança a Lusa, citando fonte do corpo da guarda prisonal, que os distúrbios foram causados pela falta de tabaco para vnnda na cantina.

O protesto coincide com a greve dos guardas prisionais, marcada pelo Sindicato Independente do Corpo da Guarda Prisional, que deverá prolongar-se até dia 6 de janeiro.

Recorde-se que no início do mês ocorreram distúrbios no Estabelecimento Prisional de Lisboa e na prisão de Custoias. Em causa estaria o fim das visitas prisionais devido à greve. No entanto, o colégio arbitral decidiu que os familiares teriam direito a uma visita no fim de semana de 22 e 23 de dezembro, antes do Natal.