Economia

Portugal é dos países europeus onde trabalho precário mais subiu

Apenas a Croácia fica acima de Portugal, onde o aumento entre 2008 e 2017 foi de 3,6 pontos percentuais.

Portugal é o segundo país da União Europeia em que o trabalho precário mais aumentou. De acordo com os dados do Eurostat, o número de contratos até três meses subiu 1,8 pontos percentuais entre 2008 e 2017, revelou o Jornal de Notícias.

Neste período, o número de pessoas nesta situação cresceu em 130 mil. Se em 2008, os contratos precários representavam 1,1% dos trabalhadores por conta de outrem, no final de 2017, subiu para 2,9%. 

Apenas a Croácia fica acima de Portugal, onde o aumento entre 2008 e 2017 foi de 3,6 pontos percentuais, revela a JN.

Em termos setoriais, também há uma tendência definida. “Os estudos conduzidos a nível europeu são consensuais em eleger os serviços – em particular, os associados à restauração e alojamento – e a construção como as áreas de atividade económica com maior propensão para recorrer a vínculos precários“, refere o Observatório sobre as Crises e Alternativas.

  “É precisamente sobre estes setores que tem assentado a recuperação da economia, com um crescimento percentual do emprego acima da média”.