Internacional

Militar planeava ataque com arma químicas nos EUA

Homem defensor dos movimentos de supremacia branca queria matar políticos, mas já foi detido

Um tenente da Guarda Costeira norte-americana foi detido nso Estados Unidos por estar acusado de ser um "terrorista doméstico". O militar americano queria matar políticos e ainda organizar um massacre com armas químicas, avança a Reteurs.

De acordo com a mesma agência, o militar descrevia-se como sendo um nacionalista e um defensor da supremacia branca.

Na acusação, a justiça norte-americana refere que o detido queria “matar civis inocentes numa escala raramente vista na história” do país.

O militar teria uma lista de alvos a abater, que incluía a porta-voz do Congresso americano, a democrata Nancy Pelosi e o comentador televisivo e ex-senador republicano Joe Scarborough.

As autoridades norte-americanas encontraram em sua casa  15 armas e mais de mil munições.

“Sonho com uma forma de matar todas as pessoas do mundo. Acho que uma praga seria o mais bem sucedido, mas não sei como adquirir o necessário — gripe espanhola, botulismo, antrax. Ainda não sei, mas vou descobrir”, podia ler-se num email que nunca chegou a ser enviado e que foi escrito em 2017.