Sociedade

Presidente do Turismo dos Açores constituído arguido após buscas

Em causa estão suspeitas de crimes de fraude e peculato

A Polícia Judiciária (PJ) realizou buscas na Associação de Turismo dos Açores e constituiu o presidente da instituição, Francisco Coelho, como arguido. Em causa estão suspeitas de "crimes de fraude para a obtenção de subsídio, peculato, falsificação de documentos e participação económica em negócio”.

De acordo com um comunicado do Departamento de Investigação Criminal de Ponta Delgada da Polícia Judiciária, a operação ‘Nomos’ foi levada a cabo esta terça e quarta-feira no concelho de Ponta Delgada.

“Foram realizadas, no concelho de Ponta Delgada, cerca de vinte buscas a empresas, residências e viaturas, que permitiram a apreensão de abundantes elementos com interesse probatório, entre os quais documentação contabilística, faturas, contratos, pagamentos, relatórios de execução de projetos, dados informáticos e correio eletrónico”, informa a polícia.

Além do presidente da Associação de Turismo dos Açores, foram ainda constituídos mais quatro arguidos, entre eles uma responsável de departamento, sua familiar. Segundo a mesma nota, os arguidos “são suspeitos de, articuladamente e em conluio com outras pessoas” terem "atuado ao longo de vários anos à margem das regras relativas à contratação pública, com vantagens pessoais e para terceiros".

Já a revista Sábado avançou ainda que também a companhia aérea açoriana SATA foi alvo de buscas.