Sociedade

"O que é grave é que alguém como Neto Moura continue a ser um juiz"

Coodenadora do BE falou sobre a decisão do juiz Neto de Moura de processar todos os que o criticaram

 Catarina Martins disse este sábado que considera “grave” Neto de Moura continuar a ser juiz e que as suas decisões em casos de violência doméstica são "um insulto a todos os magistrados deste século".

"O que é grave é que alguém como Neto Moura continue a ser um juiz. Eu acho que, com todo o respeito pela separação de poderes, a magistratura tem de olhar para este caso, porque Neto Moura continuar a produzir as sentenças que tem produzido é um insulto a todos os magistrados deste século", afirmou a coordenadora do Bloco de Esquerda (BE), citada pela agência Lusa.

Este sábado, o jornal Expresso avançou que o desembargador do Tribunal da Relação do Porto vai processar todos aqueles que o criticaram, entre humoristas, políticos, comentadores e jornalistas. O juiz defende que a sua honra pessoal e profissional foram ofendidas.

"Eu acho que o juiz Neto Moura vai ter de processar a maioria do país, porque neste país as pessoas sabem que a violência doméstica é um crime e as sentenças do juiz Neto Moura tentam legitimar e atenuar a violência doméstica, humilhando mulheres, e isso é inaceitável", disse Catarina Martins, acrescentando ainda que "toda esta ideia do processo é absolutamente ridícula".

A líder do BE questiona ainda se Neto de Moura "pretende processar a Conferência Episcopal que já disse que ele não podia utilizar a bíblia para tentar desculpar uma agressão".