Internacional

WWF acusada de financiar grupos que torturam e matam caçadores

Caso foi denunciado pelo site norte-americano BuzzFeed

A World Wild Fund for Nature (WWF) - Organização não-governamental de conservação da natureza – está a ser acusada de financiar grupos paramilitares que torturam e matam habitantes locais com o objetivo de combater a caça furtiva , que depois encobrem os alegados crimes.

A notícia foi avançada esta segunda-feira pelo site norte-americano BuzzFeed e, segundo a mesma publicação, foram muitos os casos e as pessoas ouvidas que acusam a ONG de estar em envolvida nestes crimes.

Uma das testemunhas que falou sobre o assunto, Hira Chaudhary, mulher de um agricultor que terá sido detido e torturado em 2006 por guardas florestais numa prisão junto ao parque nacional de Chitwan, no Nepal, conta como este morreu: “Eles espancaram-no impiedosamente e puseram-lhe água salgada no nariz e na boca”, contou à polícia, citada pelo BuzzFeed.

Ao que o jornal apurou, já foram detidos três funcionários do parque nacional de Chitwan e acusados de homicídio. No entanto, o BuzzFeed revela ainda que a WWF no Nepal conseguiu, de alguma forma, fazer com que os guardas em questão fosse libertados e não fossem a julgamento, tendo o caso acabado por ser encerrado.

Já outro caso foi revelado pelo mesmo jornal: Em 2017, vários guardas florestais de um parque fundado pela WWF em Camarões terão torturado um menor de apenas 11 anos à frente dos seus pais. Na altura foi apresentada uma queixa à organização, mas até agora nenhuma resposta foi dada à família do rapaz.

Depois de estas informações terem vindo a público, a organização não-governamental já reagiu e anunciou que vai abrir uma investigação independente.