Sociedade

Vasco Lourenço lamenta a forma como a data é ensinada na escola

Depois da ausência durante a troika, com a geringonça os militares de Abril aceitaram voltar a participar na sessão solene do Parlamento que assinala a revolução. No balanço destes 45 anos, Lourenço destaca “os avanços no campo da justiça social”.

Os militares de Abril são bastantes solicitados nesta altura para darem palestras em escolas e relatarem aos jovens um capítulo decisivo da história do país.

Vasco Lourenço considera, porém, que “os programas são muito fracos” no que toca ao ensino do 25 de Abril. “Há um esforço dos professores, às vezes coletivamente, mas a maior parte das vezes de forma individual, que vai suprindo muitas lacunas, mas em termos globais os programas são muito fracos e como está no fim do programa nunca há tempo para dar essa matéria”.