Eurosondagem - Associação Mutualista Montepio

Primeira sondagem dá PS com vantagem folgada

A escassas três semanas das eleições para o Parlamento Europeu, o PS tem mais sete pontos percentuais do que o PSD nas intenções de voto. E garante, pelo menos, mais um eurodeputado do que os seus atuais oito. O PCP aparece como terceira força política mais votada e o Aliança e o PAN estão à bica de conquistar um mandato. Marinho e Pinto é que é recambiado de Bruxelas e André Ventura está fora da corrida.    

Com duas mil entrevistas, é o primeiro estudo desenvolvido sobre as próximas eleições para o Parlamento Europeu e dá uma clara vantagem à lista do PS liderada pelo ex-ministro Pedro Marques.

Ao ponto de dar como assegurada a conquista de um nono mandato - ou seja, Manuel Pizarro, o líder da Federação do PS do Porto, não tinha, afinal, motivos para tanto descontentamento com o lugar que António Costa acabou por lhe reservar (precisamente o 9.º) - e admitindo mesmo que os socialistas possam chegar ao décima assento no Parlamento de Estrasburgo.

A sete pontos percentuais da lista socialista, os sociais-democratas encabeçados por Paulo Rangel reelegem pelos menos os mesmos seis eurodeputados que atualmente detêm (em 2014, a coligação PSD-CDS conquistou sete mandatos, sendo que um foi para o centrista Nuno Melo), podendo acalentar ainda a esperança de levarem mais um eurodeputado para o grupo do PPE.

Curiosamente, a sondagem da Eurosondagem-Associação Mutualista Montepio coloca a CDU, de João Ferreira, como terceira força política mais votada, mas com o amargo de boca de dar aos comunistas menos um mandato em Estrasburgo (dos atuais três, o PCP ficará apenas com dois eurodeputados).

CDS e BE têm também garantido um mandato cada, como atualmente, mas ambos podem acalentar a esperança de conquistar um segundo mandato.

3,6% pode dar um mandato

Quem também pode acalentar ainda esperança de chegar ao Parlamento Europeu com um deputado é o PAN, cujo cabeça de lista é Francisco Guerreiro, ou o Aliança, cuja lista de candidatos tem como número um o ex-assessor do Presidente Marcelo, Paulo Sande - que fica, porém, sempre longe dos dois ou três deputados que se propunha tentar conquistar.

Marinho e Ventura de fora

Sem qualquer margem para continuar no Parlamento Europeu parece estar António Marinho e Pinto. Os dois mandatos conquistados em 2014 com o símbolo do MPT são perdidos pelo PRD - partido pelo qual o ex-bastonário dos advogados concorre agora.

Por outro lado, também André Ventura, que lidera a coligação Basta! e que inclui o PPM, está fora das contas da distribuição de mandatos.