Internacional

Caso de homicídio que está a chocar Reino Unido ganha novos contornos

Field e Smith são acusados de homicídio, conspiração para homicídio, posse de um artigo usado para fraude e roubo.

Ann Moore-Martin Thames Valley Police
Benjamin Field Thames Valley Police

Benjamin Field, de 28 anos, seduziu uma idosa de 83 anos através da escrita de mensagens bíblicas nos espelhos de sua casa. Ann Moore-Martin foi a vítima de Field que, de acordo com o tribunal de Oxford se sentiu “torturada” ao perceber que estava apaixonada por um homem muito mais novo que ela.

Field e o seu amigo, o mágico Martyn Smith de 32 anos, são acusados de ter envenenado a idosa e de ter matado o docente universitário Peter Farquhar em Buckinghamshire. Recorde-se que Moore e Farquhar eram vizinhos de longa data, vivendo apenas a duas casas de distância. Contudo, Field mantinha uma relação amorosa com ambos, estando mesmo noivo do professor de 69 anos.

As autoridades britânicas encontraram variadas fotografias de Field no seu telemóvel sendo que, nas imagens, prova-se que o administrador de uma paróquia anglicana escreveu frases como “Pray for Ben, Ben loves you” (em português: Reza pelo Ben, o Ben ama-te).

Sublinhe-se que, em tribunal, Field admitiu ter estado envolvido com Moore-Martin com o objetivo de a fazer mudar o seu testamento mas nega ter conspirado contra a mesma. Já Anne-Marie Blake, sobrinha da vítima, avançou que a tia percebeu aquilo que estava a acontecer quando “foi hospitalizada em 2017 e se sentiu muito apreensiva”. Recorde-se também que Moore-Martin desconfiava que estava a ser envenenada pelo namorado.

“A minha tia era muito sociável e saía todos os dias. De um momento para o outro, ficou acamada” explicou Blake à BBC News. A verdade é que a acusação acredita que existe outra potencial vítima: Liz Zettl, de 101 anos, que vivia num anexo perto de Smith. O mágico e o líder anglicano, alegadamente, tinham em sua posse uma cópia do testamento da idosa.

Por outro lado, o advogado de defesa de Smith, Tim Moloney, declarou que o cliente “ajudou a senhora Zettl a reescrever o seu testamento ao passar o texto que ela havia escrito à mão para um documento em computador”.

Field e Smith são acusados de homicídio, conspiração para homicídio, posse de um artigo usado para fraude e roubo.

O julgamento continua no tribunal de Oxford.