Internacional

Donald Trump acusado de abuso sexual por jornalista

Abusos terão acontecido num provador de roupa de uma loja de luxo há 23 anos

A ex-colunista da revista Elle E. Jean Carroll acusa o Presidente dos EUA de a ter abusado sexualmente dentro de um provador de roupa há 23 anos.

A notícia é avançada pela revista New York Magazine, que publica um artigo escrito pela jornalista, onde E. Jean Carroll conta os abusos na primeira pessoa.

Segundo a jornalista, os abusos ocorreram no interior de um provador de roupa da loja de luxo Bergdorf Goodman, em Manhattan, Nova Iorque.

"Era isto que eu vestia há 23 anos, quando o Donald Trump me atacou dentro do provador de roupa da loja Bergdorf Goodman", escreve E. Jean Carroll na fotografia que acompanha o texto.

O Presidente, na altura ainda apenas um magnata do imobiliário, terá pedido ajuda a Carroll, que à data trabalhava na loja, ajuda para escolher um presente, pegou numa peça de lingerie e pediu-lhe que a experimentasse. Seguiu-a e uma vez dentro do provador, já com a porta fechada, empurrou-a contra a parede, tentou beijá-la, tirou-lhe os collants e "tocou com os dedos a zona íntima", lê-se no relato da jornalista, que Trump chegou mesmo a forçar a penetração, antes que ela conseguisse fugir dali para fora.

Carroll recorda ainda que contou o que se tinha passado a duas pessoas, uma aconselhou-a denunciar Trump à polícia, mas a outra disse-lhe que seria melhor esquecer tudo, pois o milionário tinha muito poder.

Entretanto, a história, que faz a capa da revista, já chegou aos olhos e ouvidos da Casa Branca, que nega toda a história. "Esta é uma história completamente falsa e fantasiosa que surge 25 anos depois de ter alegadamente acontecido com o simples intuito de deixar uma má imagem do Presidente", afirmou um representante.

Sublinhe-se que Carroll é já a 16.ª mulher a acusar Trump de abusos sexuais.