Politica

Bloco de Esquerda quer salário mínimo igual no público e privado

"Os direitos do trabalho e os salários" são o "pilar central" do programa eleitoral do Bloco de Esquerda para as legislativas, avançou Catarina Martins. 

A coordenadora do Bloco de Esquerda anunciou hoje que o partido quer a harmonização entre o salário mínimo para o público e para o privado. Catarina Martins defendeu como “pilar central” do programa eleitoral do BE para as legislativas "os direitos do trabalho e os salários".

"O que propomos agora é que já em janeiro de 2020 o salário mínimo nacional seja pelo menos o mínimo que é pago na função pública sendo que também este deve subir. No público e no privado puxar para cima, mudar de paradigma, em vez de vermos quem está pior para puxar para baixo", afirmou a líder bloquista, ontem quando falava em Santiago do Cacém, no distrito de Setúbal.

Catarina Martins reforçou que o objetivo do partido para a próxima legislatura é "mudar o paradigma" e lutar contra "a precariedade e os salários baixos". "Puxar pelos direitos do trabalho, saber que são os trabalhadores unidos, do público e do privado, precários e com contrato que conseguem lutar por contratos com direitos para todos e aumentar na próxima legislatura o ritmo a que o salário mínimo nacional sobe para conseguir esta harmonização entre trabalhadores do público e do privado", sublinhou.