Sociedade

Portugal atinge meta 90/90/90 na luta contra a SIDA

O país entra no grupo de países que alcançaram a meta definida pela ONU. 

DR  

A Direção – Geral de Saúde anunciou hoje que Portugal entrou no lote de países que alcançaram todos os objetivos traçados no programa “90/90/90” lançado pelas Nações Unidas para o combate ao VIH/SIDA. O programa visa que dos 90% dos infetados diagnostiscados, 90% estejam em tratamento e que 90 % destes apresentem uma carga viral não detetável.

Sublinhe-se que, no ano passado, no decorrer da apresentação do programa “Infeção VIH e SIDA – Desafios e Estratégias 2018”, dois dos três noventas tinham sido alcançados, ou seja, aqueles que estão relacionados com o diagnóstico do vírus e com a eficácia do tratamento do mesmo.

O programa da Organização das Nações Unidas para o VIH/SIDA (ONUSIDA) prevê que até 2020 se atinja o objetivo de ter 90% das pessoas infetadas por VIH diagnosticadas e que, dessas, 90% estejam a fazer tratamento e, por sua vez, 90% delas apresentem carga viral indetetável.

Portugal terá atingido esta meta dos “três noventas” há dois anos, pois apesar de os resultados só terem sido divulgados agora, as estatísticas apresentadas referem-se ao ano de 2017. Segundo a diretora do Programa Nacional para o VIH/Sida, Isabel Aldir, citada pelo DN, Portugal tinha em 2017 mais de 92% de pessoas com infecção já diagnosticada e 90,2% destes já estariam em tratamento. Quanto à meta da carga viral não detetável, os dados indicam que 93% dos doentes tinham o vírus suprimido.

Ao atingir a meta dos “três noventas”, Portugal integra um lote de países que alcançaram o mesmo feito composto por Dinamarca, Islândia, Suécia, Grã-Bretenha e Irlanda do Norte.

A ONU tem metas ainda mais ambiciosas para 2030 e aponta mais elevar os três objetivos para 95%.