Tecnologia

Estados Unidos em alerta com a aplicação FaceApp

Alguns políticos pedem intervenção urgente do FBI para investigar a aplicação que altera as fotografias das pessoas para as tornar mais velhas.

A aplicação FaceApp tem dominado o top das lojas de downloads da App Store (iOS) e da Play Store (Android), com milhões de pessoas a fazer o download da aplicação e que têm tido um enorme impacto nas redes sociais.

No entanto, nos últimos dias têm surgido várias notícias que mostram uma clara violação dos diretos de privacidade e são muitas as vozes que pedem uma investigação à aplicação e à possível utilização dos dados que estão a ser recolhidos.

Chuck Schumer, senador do estado de Nova Iorque, é uma das personalidades que tem mostrado maior preocupação com este fenómeno, chegando mesmo a pedir a intervenção urgente do FBI para investigar a aplicação.

Através de um post no Twitter, o senador considera que “é extremamente perturbador” que dados dos cidadãos americanos estejam a ser partilhados sem qualquer tipo de controlo, recordando que a empresa que criou esta aplicação é russa.

A Wireless Lab, empresa de São Petersburgo que desenvolveu a aplicação, já veio negar as acusações, garantido que não guarda as imagens de forma permanente. “Apesar da equipa que desenvolveu a aplicação estar sediada na Rússia, os dados dos utilizadores não estão a ser transferidos para a Rússia”, escreveu a empresa através de um comunicado.

Ainda assim, para Chuck Schumer a dúvida mantém-se: “Tenho uma grande preocupação em relação aos dados que estão a ser recolhidos, tal como à falta de conhecimento dos utilizadores que estão a partilhar estas informações”.

Segundo a Wireless Lab, neste momento a aplicação tem cerca de 80 milhões de utilizadores ativos.