Sociedade

Sindicato dos Motoristas lembra que greve de agosto afetará até os supermercados

Sindicato de motoristas de mercadoria diz que Governo e ANTRAM tentam esconder reais consequências.

A greve de 12 de agosto poderá ter consequências mais graves do que a de abril. É esse o cenário que o Sindicato Independente dos Motoristas de Mercadorias (SIMM) antecipa.

No documento enviado às redações, o sindicato lembra que desta vez não serão apenas os combustíveis a falhar: “O Governo e a ANTRAM [Associação Nacional de Transportes Públicos Rodoviários de Mercadorias] tentam esconder, mas a greve do dia 12 vai ter repercussões muito mais graves [do que as] do passado mês de abril, pois esta greve está convocada e vai afetar todas as tipologias de transporte”.

É que desta vez até as prateleiras dos supermercados podem ficar vazias, caso a greve não seja desconvocada, lembram, acrescentando que o comércio e a indústria vão “sofrer graves perdas e grandes exportadoras como a Autoeuropa correm o risco de parar a laboração”.

Segundo o pré-aviso de greve dos sindicatos serão mantidos 25% de serviços mínimos, uma percentagem inferior à de abril, quando a garantia dada era de 40% de serviços mínimos.

Amanhã haverá uma reunião na Direção-Geral do Emprego e das Relações de Trabalho (DGERT) na qual serão abordados os moldes em que os serviços mínimos serão garantidos.

Os sindicatos propõem que os serviços sejam totalmente cumpridos no que respeita ao “abastecimento de combustíveis e matérias perigosas a hospitais, centros de saúde, clínicas de hemodiálise e outras estruturas de prestação de cuidados de saúde inadiáveis, estabelecimentos prisionais, bases aéreas, serviços de proteção civil, bombeiros, forças de segurança e unidades autónomas de gaseificação”.

Guerra entre sindicato e ANTRAM Como o i noticiou na segunda-feira, o Sindicato Nacional dos Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP) apresentou uma participação à Ordem dos Advogados contra André Matias de Almeida, porta-voz da Associação Nacional de Transportes Públicos Rodoviários de Mercadorias (ANTRAM).

Pedro Pardal Henriques, advogado do SNMMP, explicou que a participação à Ordem foi feita “quer pelas expressões que utiliza contra os colegas nos órgãos de comunicação social – que violam todos os princípios a que os advogados estão sujeitos –, quer pela imparcialidade pelas ligações ao PS que faz com que se aliem para denegrir a imagem dos motoristas”.

As ligações de André Matias Almeida ao PS já tinham sido noticiadas pelo SOL. O porta-voz da ANTRAM, que tem marcado presença em todas as reuniões entre motoristas e patrões, é militante do PS e acumula vários cargos em diversas entidades, sendo alguns de nomeação do Governo.