Sociedade

O primeiro camião conduzido por militar já saiu da refinaria de Sines

 Cerca de 30 motoristas protestaram durante a  saída da viatura, mostrando-se contra a requisição civil decretada pelo Governo esta tarde

O primeiro camião carregado com combustível já saiu da refinaria de Sines, distrito de Setúbal, conduzido por um militar e escoltado por uma viatura da GNR. Cerca de 30 motoristas protestaram durante a  saída da viatura, mostrando-se contra a requisição civil decretada pelo Governo esta tarde.  Os trabalhadores estão em greve na refinaria de Sines, desde as 05:00 de segunda-feira. 

O coordenador do sul do Sindicato Nacional dos Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP), Carlos Bonito admitiu que alguns dos serviços mínimos não foram cumpridos na totalidade. "De manhã saíram uns cinco ou seis camiões de gasolina e gasóleo e outros tantos de gás natural. À tarde não saíram camiões", contou, citando a Lusa.

Carlos Bonito admitiu não estar satisfeito com a requisição civil e lamentou que "a situação tenha chegado a este ponto. Não é bom para as empresas, nem para os clientes e tudo por uma teimosia de alguém", contou. 

Quando questionado se os trabalhadores se vão manter perto da refinaria a protestar por melhores salários, o dirigente admitiu que sim e que espera receber ordens do Sindicato. "Vamos permanecer aqui mais um pouco mas muitos de nós têm de ir descansar porque podemos ter de ir trabalhar amanhã devido à requisição civil, caso contrário estamos a infringir a lei", frisou.