Cultura

França vai publicar inéditos de Proust

Os escritos, que refletem sobre a homossexualidade e nunca tinham visto a luz do dia devido à sua ousadia, serão publicados em outubro.

DR  

Uma série de contos inéditos de Marcel Proust serão publicados pelas edições Fallois no próximo dia 9 de outubro, em França, sob o título Le mystérieux correspondant et autres nouvelles inédites. Os nove textos, escritos por Proust por volta dos 20 anos, falam sobre «o amor tão injustamente condenado» e o «amor físico» entre pessoas do mesmo sexo, refere o comunicado do editor, que revela que estes contos deveriam ter feito parte da primeira obra de Proust, Les plaisirs et les jours (1896), hipótese rejeitada pelo escritor. 

Segundo a casa Fallois, fundada por Bernard de Fallois, especialista na obra de Marcel Proust e que morreu no ano passado, o escritor terá sentido, à época, que o tema em foco destes breves contos não iria ser compreendido pela sociedade. «Sem dúvida [Proust] considerou que, pela sua ousadia, os contos poderiam pôr em causa um ambiente dominado pela moralidade tradicional», acrescentou. «A consciência da homossexualidade é vivida como uma maldição, algo exclusivamente trágico», diz a editora que vai publicar os contos - redescobertos na década de 50 - mais de 120 anos depois de terem sido escritos.

Nestes contos, «vemos o jovem escritor multiplicar as experiências narrativas, sugeridas por vezes pelas suas leituras, mas já decididamente comprometido com um processo de criação que prenuncia o seu trabalho futuro», escreve a Fallois, acrescentando que esta obra «não possui o apuro» posterior de outros trabalhos de Proust, mas que ajuda, indubitavelmente, a «compreender melhor as suas origens».

Marcel Proust, autor de obras como Em Busca do Tempo Perdido e À Sombra das Raparigas em Flor, viveu uma história de amor com o compositor Reynaldo Hahn.