Desporto

Sem margem para conversas

Renato Sanches e Daniel Carriço foram duas das surpresas na convocatória inicial

Sérvia, já este sábado, e Lituânia, na terça-feira: são estes os dois obstáculos que a Seleção Nacional tem de superar no duplo compromisso internacional de setembro para manter vivo o objetivo do apuramento direto para o Campeonato da Europa do próximo verão. Na quinta-feira, em conferência de imprensa, Danilo disse que estes dois jogos «são importantes, mas não determinantes» para as contas lusas... mas não é bem assim - que o diga o próprio Fernando Santos.

«Portugal tem de ganhar os seis jogos [que faltam disputar]. Não há outra conversa», dizia o selecionador aquando do anúncio dos 25 convocados para estes dois embates. E a verdade é que novo tropeção - especialmente um desaire frente aos sérvios - pode causar danos irremediáveis nas aspirações portuguesas, depois do início pouco auspicioso: dois empates caseiros (0-0 com a Ucrânia e 1-1 com a Sérvia, ambos no Estádio da Luz) que colocam a Seleção Nacional num pouco animador quarto lugar no grupo B, já a oito pontos dos ucranianos (que, ainda assim, têm mais dois jogos realizados).

É verdade que se apuram diretamente os dois primeiros classificados do grupo, e que mesmo com um falhanço nesta fase de qualificação o campeão europeu em título tem presença assegurada no playoff, fruto da conquista da Liga das Nações. Ainda assim, o apuramento direto é o grande (e declarado) objetivo da seleção nacional, agora quase sem margem de erro.

Félix de volta ao onze Para a partida no Estádio Rajko Mitic (comummente apelidado de Marakana), Fernando Santos espera uma Sérvia «diferente», mais que não seja pelo facto de jogar em casa e ter um novo treinador (Mladen Krstajic foi entretanto substituído por Ljubisa Tumbakovic). «A Sérvia jogou em Portugal mais a procurar o contra-ataque, defendendo bem. Acredito que amanhã irá atuar de forma diferente, com as linhas mais subidas, a procurar pressionar mais até ao último terço. Tem um novo treinador, vai procurar vencer, joga em casa e vamos procurar, conhecendo as capacidades dos jogadores sérvios, tentar contrapor com o nosso futebol», anteviu esta sexta-feira o selecionador nacional, em conferência de imprensa realizada já em Belgrado.

Ao seu lado estava Bernardo Silva, que considera os sérvios «uma grande equipa» que Portugal está preparado para enfrentar. «Portugal não se assusta com nenhuma seleção. Sabemos que também somos uma grande equipa e que temos qualidade para ganhar o jogo», sublinhou o criativo do Manchester City, que deverá partilhar o ataque com Cristiano Ronaldo e João Félix, aparecendo ainda Bruno Fernandes logo atrás.

A entrada do jovem avançado, agora no Atlético de Madrid, será mesmo a única alteração que Fernando Santos levará a cabo em relação à equipa que em junho bateu a Holanda na final da Liga das Nações. Félix entrará para o lugar de Gonçalo Guedes (curiosamente o herói dessa final), repetindo-se assim a fórmula da meia-final dessa competição, diante da Suíça, num jogo decidido por Cristiano Ronaldo (fez um hat-trick na vitória portuguesa por 3-1).

O início da preparação para o duplo confronto com Sérvia e Lituânia ficou marcado por uma troca na lista inicialmente elaborada por Fernando Santos: Pepe, central do FC Porto e o sexto jogador mais internacional de sempre por Portugal (106 jogos), lesionou-se no joelho direito na partida entre os dragões e o Vitória de Guimarães e acabou por nem integrar o estágio da seleção nacional. Para o seu lugar, o selecionador chamou Ferro, do Benfica, que assim se estreou em convocatórias para a seleção absoluta, a exemplo do que acontece com Daniel Podence, avançado do Olympiacos.

O lugar deixado vago por Pepe deverá, ainda assim, ser ocupado por José Fonte, que fará dupla no centro da defesa com Rúben Dias, tal como aconteceu há três meses, no Porto, frente à Holanda (1-0), no já referido encontro que valeu a conquista da Liga das Nações. De resto, tudo igual: Rui Patrício será o guarda-redes, com Nélson Semedo, como lateral-direito e Raphael Guerreiro no lado esquerdo. No meio-campo, Fernando Santos deverá voltar a juntar Danilo e William Carvalho em funções mais defensivas, libertando assim Bruno Fernandes e Bernardo Silva para terrenos mais adiantados.

A partida joga-se este sábado, a partir das 19h45, e será dirigida pelo árbitro turco Cüneyt Çakir, de 42 anos.