Vida

Hipótese de crime na morte de Eduardo Beauté colocada de parte

Cabeleireiro ia arrancar com novo projeto esta semana

A polícia afastou a hipótese de crime na morte de Eduardo Beauté, avança o Jornal de Notícias, que cita fonte policial.

De acordo com o mesmo jornal, a análise ao local onde o cabeleireiro foi encontrado sem vida "colocou de parte a intervenção de terceiros”. Desta forma, o caso ficou sob a alçada da PSP e Instituto Nacional de Medicina Legal, que deverá determinar a causa da morte.

Recorde-se que o Correio da Manhã havia avançado que Eduardo Beauté, que morreu este sábado, havia sido encontrado na cama, em tronco nu e com o pescoço roxo.

Segundo o Jornal de Notícias, os amigos contam que o cabeleireiro estaria animado com um novo projeto que ia arrancar esta semana com três sócios italianos. Terão sido os mesmos que deram o alerta depois de Eduardo faltar a uma reunião e pediram ajuda à empregada, que acabou por encontrar o cabeleireiro já sem vida no quarto.

Recorde-se que Eduardo Beauté, de 52 anos, tinha problemas financeiros e parecia não ter conseguido seguir com a sua vida após o fim da relação com Luís Borges, na sequência do qual esteve internado devido a uma depressão, que não estaria ainda ultrapassada.

Todos estes fatores contribuem para as especulações de suicídio, mas as autoridades continuam agora a investigar.