Desporto

Sporting. Varandas admite abordagens a Mourinho e Jardim

"Um disse que queria projetos onde pudesse lutar pela Champions; o outro disse que não tinha paciência para aturar um clube de malucos"

Frederico Varandas confessou este sábado, em entrevista à SIC, ter efetuado abordagens a José Mourinho e Leonardo Jardim, de modo a avaliar a vontade dos dois treinadores em assumir o lugar deixado vago após a demissão de Marcel Keizer como técnico principal do Sporting.

"Ao despedir Keizer procurámos alternativas. Preferencialmente um treinador português e com currículo português. Um disse que queria projetos onde pudesse lutar pela Liga dos Campeões. O outro disse-me: ‘Gabo a sua coragem e paciência, mas não tenho a mesma paciência para aturar um clube de malucos como o Sporting’. É isto que o Sporting tem de contrariar", revelou o presidente dos leões, contando ainda que Mourinho "elogiou o trabalho feito e disse que conhecia bem a realidade do Sporting", mas que "acha que o Sporting não luta pela Liga dos Campeões".

O dirigente máximo da SAD do Sporting justificou ainda a decisão de demitir Marcel Keizer com o facto de o técnico holandês não se ter adaptado ao futebol português. "Keizer não caiu com a primeira derrota. Em novembro de 2018 tivemos grande dificuldade em escolher, a realidade do Sporting não era atrativa e ele apostava em jovens, tinha futebol de equipa grande, ofensivo. Mas teve dificuldades em adaptar-se no futebol português. Fomos tendo sinais disso. Exemplos? A maneira como se perdiam os jogos e se reagia a isso. Apesar dos títulos, estava na hora [de sair]", assumiu Varandas, explicando ainda que o jovem Pedro Mendes não foi inscrito na Liga "porque Keizer não acreditava nele".

Elogiando Silas, o técnico apresentado esta sexta-feira - "não tem medo nenhum de apostar em jogadores jovens" -, Frederico Varandas disse ainda que os insultos que se têm ouvido jogo após jogo em Alvalade "valem zero", garantindo acreditar que "os sportinguistas não são burros e sabem distinguir o protesto genuíno do protesto para espalhar o caos". O presidente leonino deixou ainda a garantia de crença nas capacidades de Jesé, Fernando e Bolasie, todos contratados por empréstimo e no último dia do mercado, e prometeu "resolver o assunto" de Jovane Cabral, que foi apanhado com uma carta de condução falsa. "Um jogador do Sporting tem de se saber comportar", asseverou.