Desporto

Fernando Gomes: "É evidente que o Sporting está a ser beneficiado com apoios"

Administrador financeiro da SAD do FC Porto diz ainda que "não queria estar na situação financeira" dos leões

Fernando Gomes, administrador financeiro da SAD do FC Porto, revelou esta quinta-feira a convicção de que o Sporting "está a ser beneficiado com um conjunto de apoios que não é permitido a outros clubes", tendo em conta a tão perseguida reestruturação financeira, e no seguimento do anúncio da SAD leonina de ter chegado a um acordo com a banca para a reestruturação substancial da dívida, com uma alteração dos termos da opção de compra dos Valores Mobiliários Obrigatoriamente Convertíveis (VMOC) que resultam num perdão na ordem dos 94,5 milhões de euros.

"Que façam tudo o que for possível para resolverem rapidamente a sua situação, mas é evidente que o Sporting está a ser beneficiado com um conjunto de apoios, dada a sua dificílima situação, que não é permitido a outros clubes. Diria que não queria estar na situação financeira do Sporting e, felizmente, não estamos. Estamos tranquilos, com algumas dificuldades, mas não queria estar na situação do Sporting", afirmou o dirigente dos azuis-e-brancos, à margem da apresentação das contas relativas ao exercício de 2018/2019, no Estádio do Dragão.

Esta quinta-feira, a SAD portista apresentou um resultado líquido consolidado positivo de 9,4 milhões de euros, relativos ao período entre 1 de julho de 2018 e 30 de junho de 2019. Ainda assim, e face à inesperada ausência da fase de grupos da Liga dos Campeões, Fernando Gomes admitiu esperar vendas de jogadores "na ordem dos 65 milhões de euros" até 30 de junho de 2020, de modo a equilibrar as contas para 2019/2020 - isto, embora tenha garantido que a SAD do FC Porto está "relativamente tranquila quanto ao próximo exercício no cumprimento das regras do fair-play financeiro" perante a UEFA.

Em 2018/19, o FC Porto aumentou ainda em quase 13 milhões de euros os custos com pessoal, fator que se deveu a rescisões de jogadores e a prémios pagos ao plantel, de acordo com o dirigente. "Rescisões de contrato com custos pesados, do Bueno e Bazoer; uma compensação pela vitória no campeonato [2017/18] à equipa técnica e aos jogadores; e ainda a circunstância de termos pago prémios extraordinários aos jogadores quando passaram da fase de grupos à fase seguinte [da Liga dos Campeões, também em 2017/18]", explicou Fernando Gomes.

Segundo o que se pode ler no documento da apresentação de contas dos portistas relativo à época transata, o valor do plantel do FC Porto cifrava-se contabilisticamente nos 74,9 milhões de euros - menos que o da temporada anterior, que ascendia aos 82,6 milhões.